Juros abusivos tiram o sono dos consumidores: Há solução!

Desemprego, doença, problemas pessoais, crise e falta de dinheiro levam muita gente a recorrer a empréstimos em instituições financeiras, que se espalham por todo país.

Uma Pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aponta que o percentual de brasileiros com dívidas atingiu patamar de 66,5% em janeiro de 2021, um aumento de 0,2% em relação ao mês anterior e de 1,2% na comparação com janeiro de 2020. Ou seja, 6 a cada 10 pessoas estão endividadas, e boa parte destas estão pagando juros abusivos e ilegais.

Boa parte destes juros abusivos já estão no ato da contratação do serviço, uma vez que quando se precisa de empréstimo ou financiamento junto aos bancos, financeiras e operadoras de cartões de crédito estas não permitem que se questione dados referente às cláusulas do contrato, elaborados para proteger o credor e consequentemente prejudicar o devedor.

De acordo com Ubirajara Machado Teixeira, da Advocacia Teixeira, “Financeiras têm praticado juros abusivos, existem casos em que operadoras estão praticando juros superiores a 20% ao mês, o que é totalmente ilegal” Alerta.

Ainda, de acordo com Ubirajara, é possível que o consumidor ingresse com ação para diminuir os juros que estão sendo cobrados e também reaver o que já foi pago de forma irregular.

“Não existe uma tabela que define os juros abusivos. Porém, o consumidor deve desconfiar se essas taxas estiverem muito acima da média do mercado. Por isso é muito importante ficar atento ao contrato firmado com a empresa e com as taxas que foram acordadas” Completa.

Em caso de dúvidas busque um profissional especializado de sua confiança para orientação.


66 visualizações

Posts recentes

Ver tudo